Como surgiu e quais os Benefícios da drenagem linfática?

O método de drenagem linfática manual foi desenvolvido em 1932 pelo terapeuta dinamarquês Vodder que trabalhava junto com sua esposa na Riviera Francesa.

Vodder observou que a maioria de seus pacientes sofria de constipação, retenção de líquidos e apresentavam os gânglios linfáticos alterados. Ele passou a tratar estes pacientes intuitivamente com massagens que estimulavam estes gânglios atingindo grandes êxitos com diversos pacientes.

Seu método foi desenvolvido e se tornou muito eficaz. Hoje em dia, a drenagem linfática manual é usada na estimulação da circulação linfática que ajuda o corpo a eliminar toxinas e na nutrição dos tecidos. A estagnação dos gânglios linfáticos pode causar dor. Embora todos os tipos de massagem  estimulem a corrente linfática, a técnica de Vodder é focada na drenagem do excesso linfático.

A drenagem linfática é basicamente composta de dois processos ou procedimentos que visam transportar e remover esse líquido de edema de volta à circulação sanguínea, são eles:

Evacuação: é o processo que se realiza em gânglios (ou linfonodos) e em outras vias linfáticas com o objetivo de descongestioná-los.

Captação: é a drenagem propriamente dita que é realizada principalmente dos locais de edema em direção à desembocadura mais próxima.

As manobras da drenagem linfática manual são basicamente  as seguintes:

Círculos com os dedos ou com as mãos;
Círculos com o polegar;
Movimentos combinados;
Pressão em bracelete.

Ação Fisiológica das Manobras de Drenagem

  • Dinamização do peristaltismo dos coletores e, consequentemente, aumento do ritmo natural que se prolonga por horas após a drenagem.
  • Desentupimento sistemático das vias de acesso à região afetada
  • Suavização e “desfibragem” minuciosa da organização conjuntiva.
  • Solicitação máxima da reabsorção
  • Eliminação progressiva nas principais zonas de drenagem da estase (estagnação) dos tecidos e de todos os resíduos tóxicos resultantes do traumatismo.

Efeitos Positivos

  • Melhor oxigenação
  • Melhora a defesa e ação antiinflamatória
  • Aumento do potencial reparador
  • Dinamização de todos os processos catalisadores de uma boa cicatrização


EDEMAS PERSISTENTES

Geralmente, quando ocorre lesão mais extensa, ou, em casos de infecção importante que venha a prejudicar a formação de novos vasos linfáticos, pode instalar-se um quadro de edema persistente.

A circulação sangüÍnea realiza um “circuito fechado”. A circulação linfática de sua rede é imensa, constituída por “lagos” ou sinus no interior dos tecidos e dos órgãos, seguidos por vasos de diversos tamanhos , a rede linfática é duas vezes mais extensa que a rede sangüÍnea.

É uma circulação lenta. Perde velocidade com qualquer alteração nos tecidos que esmaguem os delicados vasos, como edemas, hematomas, contrações musculares, baixa pressão sangüÍnea e outras alterações.

É bastante ramificada ao nível de sua rede superficial, dérmica, que se interconecta com sua rede profunda, quanto ao nível de suas múltiplas conexões ganglionares.

A imunidade adquirida é conseqüência do tecido linfóide, localizado principalmente nos linfonodos, como também no baço, nas áreas submucosas do aparelho gastrintestinal, na medula óssea.

Devido à distribuição do tecido linfóide pelo corpo, os organismos invasores ou toxinas são identificados antes que passem a se espalhar muito pelo corpo.

Os linfonodos são estruturas imunologicamente ativas e estão organizadas em grupos no trajeto dos vasos linfáticos.

Quando a linfa passa pelos linfonodos, ela é filtrada de toda a substância estranha que fica “presa” no linfonodo.

A composição da linfa é bastante variável, pois ela vai coletando substância ao longo do seu trajeto pelo corpo.

INDICAÇÕES DA DRENAGEM LINFÁTICA

A drenagem linfática manual é indicada nos seguintes casos:

  • Linfedemas
  • Lipedemas
  • Fleboedemas
  • Edemas pós-operatórios e pós-traumáticos
  • Edemas cíclicos idiopáticos, pré-menstruais, intragestacionais e outros
  • Tratamento ou prevenção de diversos distúrbios, seqüelas ou patologias que envolvem as áreas de angiologia, oncologia, ortopedia e traumatologia, reumatologia, ginecologia e obstetrícia, pré e pós cirurgias, ortomolecular, stress, esporte, estética, dentre tantas outras.
  • Pré e pós-cirurgia plástica
  • Tratamentos de revitalização facial
  • retenção de líquidos
  • celulite (hidrolipodistrofia);
  • rejuvenescimento através da circulação – combate radicais livres;
  • pré e pós operatório;
  • má circulação sanguínea de retorno;
  • musculatura tensa;
  • tensão nervosa.

Outros Efeitos benéficos da drenagem linfática

  • velocidade do transporte da linfa;
  • funcionamento do intestino;
  • absorção de nutrientes pelo trato digestivo;
  • problemas circulatórios em geral;
  • a desintoxicação da musculatura (fadiga);
  • a distribuição dos hormônios.

CONTRA-INDICAÇÕES DA DRENAGEM LINFÁTICA

A drenagem linfática manual é contra-indicada nos seguintes casos:

-Infecções agudas;  insuficiência cardíaca descompensada; flebites; tromboses; tromboflebites; síndrome seno carotídeo;  hipertensão; certos tipos de afecções da pele; câncer, asma brônquia e bronquite asmática; hipertiroidísmo; parte do corpo dolorida, avermelhada, sensação de mal-estar.

Written by

Dra. Melina Caniçali

76 Posts

Bem vindos! Meu nome é Melina, sou nascida e criada na Bahia, Brasil, Fisioterapeuta por formação e atualmente resido em Orlando, Florida, Estados Unidos. O blog tem o objetivo de levar conteúdo simples capaz de transformar sua vida. Espero que goste. Deixe sua mensagem! Mel
View all posts

2 thoughts on “Como surgiu e quais os Benefícios da drenagem linfática?”

  1. SOU ESTUDANTE DE MASSOTERAPIA, ESTOU COLETANDO DADOS SOBRE ALGUNS TIPOS DE MASSSAGENS DE SITES CONFIÁVEIS, O SEU FOI ESCOLHIDO. GRATA, ME AJUDOU BASTANTE, RETORNO.

Leave a reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *